Enquanto o relacionamento interpessoal diz respeito à capacidade de interação com terceiros, a empatia é a assimilação mental-afetiva de uma pessoa em relação a outra. Relações interpessoais e empatia parecem assuntos distantes para você? Pois saiba que as dinâmicas das relações modificam a nossa qualidade de vida.

Quer trabalhar suas relações interpessoais e desenvolver empatia pelos que estão ao seu redor? Separamos as melhores dicas neste post. Continue a leitura e entenda como o processo de coaching pode ser seu grande aliado.

Qual a importância das relações interpessoais e empatia?

Um bom relacionamento interpessoal resulta de uma boa relação intrapessoal. Ou seja, é consequência da maneira como nos relacionamos com nós mesmos.

Se estamos bem com nossas questões internas, é provável que nossas conexões com outras pessoas também sejam favorecidas. Isso interfere, inclusive, em nossas relações de trabalho e os laços mais superficiais — toda e qualquer interação com outros indivíduos.

Sabemos que ninguém vive de maneira totalmente independente. Qualquer pessoa está inserida em uma cadeia de parcerias emocionais que são essenciais para nossa vida em sociedade. Dessa cadeia, fazem parte não só os laços mais próximos, como os bons amigos e os familiares, mas qualquer pessoa com quem interagimos no dia a dia.

É da natureza humana buscar relações e estreitar vínculos. Portanto, quanto mais positivos forem os relacionamentos interpessoais, maiores as chances de construir conexões reais que tornarão a vida mais agradável.

Se as pessoas portam dores emocionais que permanecem irresolutas, esse mal-estar se estende para todas as instâncias de convivência. Com isso, podem ser reveladas ações agressivas, improdutivas e prejudiciais à saúde mental e ao bem-estar físico do indivíduo.

Não é raro ver chefes que, em razão de problemas na vida pessoal, acabam por ser rudes com quem está ao seu redor no dia a dia. Mas seja no trânsito, nos comércios ou nos espaços públicos, todos estão sujeitos a lidar com o mau humor alheio.

Por isso, é essencial observar suas alterações de comportamento. Se algo não vai bem, analise, reflita e busque uma maneira de ressignificar essa angústia. Do contrário, quem está em seu entorno sofrerá as consequências.

Como melhorar as relações interpessoais na empresa?

O ditado já foi repetido à exaustão, mas é verdadeiro: “quando um não quer, dois não brigam”. A ideia por trás desse clichê se aplica às relações interpessoais e empatia, independentemente do ambiente. Quando os membros de um grupo estão bem, tornam-se escassos os motivos para iniciar uma briga e criar problemas com seus parceiros.

Diante da imprevisibilidade das coisas, qualquer um pode sofrer surpresas desagradáveis que exigirão muita inteligência emocional e relacional da parte de todos os envolvidos. No entanto, é possível adotar atitudes diárias para reduzir a insatisfação e criar conexões de qualidade.

Desenvolva a empatia

Ser empático é essencial para construir bons relacionamentos interpessoais em qualquer instância. A empatia é a capacidade de se projetar no lugar do outro, mantendo uma distância saudável e necessária.

Assim, evitam-se os preconceitos, julgamentos e atitudes precipitadas. Colocar-se no lugar do outro é uma prática de compaixão e respeito, o que potencializa a qualidade das relações e otimiza seus laços.

Desenvolver a empatia pode parecer abstrato, mas é possível desenvolver essa habilidade com pequenas práticas diárias. Olhe atentamente para seus amigos, converse com eles e tente entender suas dores. Caso alguém do seu ciclo apresente mudanças de comportamento, vá até ele com disposição para ouvir, busque saber o que acontece e como cooperar.

Que tal apostar em serviços voluntários e trabalhos sociais? Essas práticas ajudam a desenvolver a sensibilidade e a cooperação com o próximo. Além de fazer o bem, essa mudança de hábitos, definitivamente, refletirá em sua qualidade de vida.

Mantenha o respeito (sempre!)

Certos problemas podem ser difíceis de contornar, em especial se algum colega está batendo de frente com os demais. Independentemente do transtorno, jamais falte com o respeito e não se deixe levar pela raiva. Afinal, o respeito é a base de qualquer relacionamento e prova sua civilidade e humanidade.

Outro ditado é significativo quando falamos em respeito aos terceiros: “não faça aos outros o que não gostaria que fosse feito com você”. Se você está aborrecido, lembre-se que isso não justifica ser mal-educado ou ter uma atitude negativa em relação a quem está por perto.

Da mesma forma, ter um mau dia não autoriza seus colegas, conhecidos e demais indivíduos a faltarem o respeito com você. Quando esse entendimento é generalizado, todos saem ganhando e as relações se tornam mais produtivas e duradouras.

Abra os canais de comunicação

A comunicação é o que gera vínculos entre os membros de determinado grupo. Saber se comunicar é uma qualidade valiosa para viver bem em sociedade, mas é preciso que as condições oferecidas pela companhia favoreçam esses laços.

Quem está ao seu redor deve estar confortável para dirigir a palavra a você — só assim é possível melhorar as relações. Se há abertura, seus amigos e familiares passam a dizer com clareza o que os incomodam e é possível tomar caminhos efetivos para melhorar as relações interpessoais e empatia.

Aposte no coaching

Relacionar-se pode ser um desafio complicado para algumas pessoas. Mudar e otimizar suas dinâmicas relacionais é mais difícil sem uma ajuda capacitada. Por isso, vale apostar no coaching, um processo que, com certeza, modificará seu comportamento e suas relações, por consequência.

O coaching foca em 4 pilares. O primeiro é a comunicação, focado na intercomunicação e capacidade de escuta. O coachee (pessoa que está desenvolvendo as habilidades) se torna capacitado a interagir e falar abertamente de suas ideias.

Em seguida, temos a interação. Além da abertura para se expressar, esse pilar garante ao coachee a habilidade de criar a cultivar bons vínculos.

A percepção ajuda o indivíduo a superar suas limitações e atravessar as vivências negativas. Por último, a aproximação destitui os medos e bloqueios, ajudando a construir laços sem tantas barreiras.

O coaching é um processo de autodescoberta e mudança. Reconhecendo a necessidade de atualizar antigos comportamentos e se abrir para novas práticas, o coachee otimiza as relações interpessoais e empatia em seu ambiente de trabalho, em suas horas de lazer e em qualquer outro momento que viva.

Quer desenvolver suas relações interpessoais e empatia? Siga nossas dicas e aposte em uma comunicação eficiente e na escuta. Permita que o coaching auxilie você nesse processo! Entre em contato com a Polozi Coaching hoje mesmo e transforme seus relacionamentos!